Revisão do IPTU e iluminação pública dominam os assuntos da sessão

por Camila Reis publicado 13/10/2021 18h02, última modificação 13/10/2021 18h02

Resumo dos pronunciamentos da Sessão Ordinária de 13/10/2021

Lembramos sempre que as falas podem ser acessadas na íntegra em nosso canal do YouTube

Sebastião Ary Corrêa (Patriota)

Lamentou a não abertura, até o momento, da CEI proposta por Juninho Corrêa (PL) para investigar o desvio do caminhão de cimento, cobrando posicionamento dos demais vereadores. Foi falado que o prefeito teria um documento que autorizava a transferência do material para outro município, mas o mesmo não foi apresentado. “Só se montaram esse documento, porque não existe isso! Qual o segredo por trás de levarem o cimento daqui para Presidente Kennedy? É um cimento que o povo de Cachoeiro pagou e está precisando pra fazer rua, muro, escada...”.  Pediu que os vereadores que fizeram parte da comissão especial que tratou do IPTU visitem o plantão de atendimento de revisão do imposto que está acontecendo na escola Zilma Coelho Pinto e constatem a humilhação que o povo vem sofrendo.

Brás Zagotto (PV)

Relatou que esteve algumas vezes no plantão de revisão do IPTU que está acontecendo na Escola Zilma Coelho Pinto e testemunhou a insatisfação de todos os cidadãos atendidos: a quantidade de senhas e de atendentes é insuficiente, ocasionando demora excessiva no atendimento e alguns cidadãos sequer consigam senha. “Do jeito que está, é uma covardia! O povo quer pagar o imposto e acha que nós, vereadores, é que somos culpados desse problema. Vai acabar o prazo para pagamento e nem 20% dos que precisam conseguirão atendimento!”. Vai propor ao prefeito que estenda o prazo para pagamento até 30/11 para que todos possam ser contemplados pela revisão e fazer o pagamento em dia, além de estudar uma forma de aumentar os atendentes. Relembrou diversas obras que viabilizou para as comunidades do interior quando foi secretário municipal. Agradeceu a todos que ajudaram votando e pedindo votos pela emenda parlamentar do Dep. Felipe Rigoni que propiciará a construção da nova unidade de saúde do Vila Rica.

Leo Camargo (PL)

“Humilhação é o que o povo de Cachoeiro está vivendo!”, afirmou sobre o atendimento de revisão do IPTU. Relatou que as pessoas estão chegando de madrugada e ainda assim não estão conseguindo senha e que conhece pessoas que não têm alimento em casa, nem condições de pagar a passagem de ônibus pra ir buscar o atendimento e não estão conseguindo revisão de sua situação. Denunciou a falta de ginecologistas nas unidades de saúde de Cachoeiro, contrariando a campanha do Outubro Rosa. Manifestou pedido dos caminhoneiros por áreas de carga e descarga na região central. Cobrou urgência na resolução do problema da iluminação pública. Denunciou também que a quadra do Caiçara foi inaugurada às vésperas das últimas eleições, mas está fechada até hoje por falta de energia.

Mestre Gelinho (PSDB)

Compartilhou das impressões de Leo Camargo de que o vereador, muitas vezes, se sente impotente ao não conseguir ajudar a população. Criticou a deficiência do transporte público em Cachoeiro, em especial pela falta de horários nos finais de semana, prejudicando quem precisa trabalhar. Pediu providências sobre grande buraco na saída da Ponte de Ferro para o bairro Ferroviários, quase impedindo o trânsito de veículos, além dos diversos outros buracos ao longo de todo o trecho da Linha Vermelha (Brás, em aparte, informou que já pediu o serviço para a secretaria de obras). Cobrou resolução do problema da iluminação pública, que está crítica, não honrando as tarifas pagas pela população direcionadas ao serviço. Pediu que as secretarias responsáveis pelo menos informem à câmara e aos cidadãos sobre o andamento do contrato.

Paulinho Careca (PSB)

Complementou a fala de Gelinho solicitando tapa buracos também para Av Jones Santos Neves, na altura da garagem da Real, onde existe grande cratera há muito tempo, gerando risco de acidentes. Cobrou intervenções que já vem solicitando a tempos, como instalação de faixas de pedestre e/ou redutores de velocidade próximo às escolas e separação de pista na Santos Neves. “São muito boas as obras e projetos previstos pela prefeitura, mas não adianta nada se não fizer o básico. Atender aos pedidos dos vereadores é atender ao que a população pede”.

Leo Cabeça (PDT)

Pediu melhor gestão na secretaria de interior, que tem feito serviços ruins por falta de máquinas, como o ensaibramento das estradas de Bom Jardim e do Itabira. Disse que o governo de Carlos Casteglione foi o melhor para Cachoeiro no atendimento das demandas das comunidades.

Diogo Lube (PP)

Felicitou Paulinho Careca pelo aniversário. Reforçou as falas anteriores sobre indicações e demandas não atendidas. Relatou que esteve em duas secretarias para verificar o andamento de suas indicações, visitando alguns bairros junto ao secretário Alexandro Da Vitória, onde solicitou faixas elevadas e sinalização. “Se os acidentes acontecem por falta de sinalização, é negligência do Poder Executivo”. Parabenizou ao vereador Ary Corrêa pelo trabalho fiscalizador e pediu que o mesmo disponibilize o andamento dado pela PM ao caso do caminhão de cimento para que os demais vereadores também tenham ciência e possam ajudar a dar os encaminhamentos necessários. Informou que no próximo sábado o time sub 16 do Grêmio Santo Agostinho disputará a final do Capixabinha em Marilândia, no norte do estado, e pede apoio para a viagem. Parabenizou aos professores pelo seu dia e sua luta.  Falou sobre o serviço oferecido pela ONG aosfatos.org que apura fatos que são noticiados, comprovando sua veracidade ou não. Baseado nessa apuração, e comentando a fala de Juninho Corrêa, esclareceu que a vacinação é obrigatória no Brasil, por lei federal, desde 1975.

Allan Ferreira (Podemos)

Relatou que foi necessário chamar guincho para remover carro atolado em sua rua, além do ônibus também não ter passado de manhã por causa da lama. O vereador pede pavimentação para a via há quatro anos, dentre outras obras necessárias ao São Francisco de Assis. “Se outro vereador pedir e conseguir, eu vou aplaudir!”.

Pr. Delandi Macedo (Podemos)

Falou sobre o fato de os vereadores serem sempre responsabilizados pela população por todos os problemas, sejam na esfera municipal, estadual ou federal. Citou como exemplo a lei federal que estipula que a taxa de lixo deve ser cobrada de todos os imóveis e que, por isso, os vereadores não conseguiram conquistar que os proprietários de áreas não edificadas fossem isentos de pagamento. Esta tarifa é uma das maiores queixas do contribuinte em relação ao aumento do IPTU. Criticou também o atendimento insuficiente do plantão de revisão do IPTU. Relatou estar sendo bastante questionado pela população nas redes sociais sobre a quantidade de moradores de rua em Cachoeiro. “A Secretaria de Desenvolvimento Social deveria dar um acolhimento mais enérgico a essas pessoas.” Elogiou o Projeto Casa Verde, que vem formando crianças e jovens na música e na vida. Sugeriu a criação de centro de referência para atendimento ao Idoso no município, de forma a centralizar a orientação e os serviços prestados a esta população, seja com as famílias ou nas instituições de permanência. Cobrou também urgência na resolução do problema da iluminação pública “Está uma vergonha!”.  

Marcelinho Fávero (PL)

Falou sobre a importância de esclarecer adequadamente a população sobre os serviços disponíveis, a exemplo do IPTU e as formas de obter o desconto e revisão do valor, além dos prazos de pagamento.  

Juninho Corrêa (PL)

Lamentou o falecimento de Dona Iracema, moradora antiga do Aeroporto. Questionou até onde vai a legitimidade de o estado exigir que os cidadãos se vacinem, considerando o eminente passaporte sanitário a ser implementado. Comparou essa situação, que segregaria pessoas por não tomar vacina, ao nazismo.