Você está aqui: Página Inicial / Comunicação / Notícias / Audiência discute defesa dos direitos da criança

Audiência discute defesa dos direitos da criança

por Célia Ferreira publicado 22/04/2019 19h15, última modificação 22/04/2019 19h19
Audiência discute defesa dos direitos da criança

Alexon e Pasolini organizam a audiência

 

 

Discutir as políticas públicas municipal e estadual de defesa dos direitos da criança e do adolescente, apresentando os programas, ações e ferramentas disponibilizados para o atendimento da sociedade.

Este é o objetivo de audiência pública que será realizada na quinta-feira (25), a partir das 14h00, na Câmara Municipal de Cachoeiro. A organização é do presidente da Casa, vereador Alexon Cipriano (PROS), com o apoio dos vereadores e do deputado estadual Delegado Lorenzo Pasolini (PRP). Representantes do Conselho Tutelar e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, além de outros organismos, também estarão presentes.

O vereador, que sempre teve como uma de suas bandeiras a ampliação da rede de proteção social do município, para mulheres e crianças vítimas de violência doméstica, diz que a audiência, que é aberta a todos os interessados, abre um canal para a apresentação de críticas e propostas para a melhoria do atendimento. “A sociedade não pode mais adiar a responsabilidade de oferecer proteção e uma vida digna aos menores”, afirma Alexon, que tenta sensibilizar as autoridades estaduais em busca da implantação de uma Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) em Cachoeiro.

Levantamentos oficiais demonstram a gravidade da violência contra crianças e jovens no Espírito Santo. De outubro de 2017 a setembro de 2018, foram abertos 570 inquéritos com vítimas menores, sendo que 70% dos casos são referentes crimes sexuais. Também são registrados casos de maus tratos e espancamento no ambiente doméstico; escravidão infantil e falta de assistência familiar, entre outros. Além disso, o Espírito Santo é um dos dez estados com maior número de mortes de crianças e adolescentes com armas, por envolvimento com o tráfico de drogas, que tem grande poder de aliciamento de menores em áreas de risco social.